Author: Ricardo Nunes Language: text
Description: Not specified Timestamp: 2018-03-24 16:21:36 +0000
View raw paste Reply
  1. O meu nome é Ricardo Miguel Fernandes Nunes, sou filho de Augusto Luís Gomes Fernandes Nunes e Isabel Maria Lopes Cardoso Nunes Fernandes, nasci no dia 07 de Maio de 1988 pelas 14 horas e 15 minutos, na Maternidade Alfredo da Costa, na Freguesia de São Sebastião da Pedreira em Lisboa, mas acontece que no dia seguinte ao efectuarem o meu registo de nascimento na conservatória de Queluz, por lapso fiquei com a naturalidade na Freguesia de Queluz conselho de Sintra.
  2. Nos primeiros anos da minha vida vivi em Queluz na casa dos meus avós paternos juntamente com os meus pais dessa época tenho muito poucas recordações, mas ainda me recordo de quando a minha tia Fátima irmã da minha mãe que estudava no liceu de Queluz antes de ir para a escola sempre ir ter comigo e dar um pequeno passeio na rua.
  3.  Quando tinha 3 anos os meus pais adquirirão a sua 1ª habitação própria, era uma T2 com cerca de 75m² na Rua Carlos Charbel no Cacem dessa altura recordo-me de ter de acordar todos os dias bastante cedo para ir para casa a minha avó materna que era relativamente perto a cerca de 3Km, esta deslocação devia-se à deslocação dos meus pais para o local de trabalho que era em Lisboa, a chegada a casa da minha avo fazia-se por volta das 6 horas onde depois ainda ia dormir mais um pouco até a chegada do meu primo Flávio que é apenas 10 meses mais velho que eu, o nosso dia geralmente era passado a parte da manhã a brincar na rua como jogar a bola, apanhada e escondidas e depois do almoço íamos para a horta da minha avó que se situava nuns terrenos abandonados na zona de Mira-Sintra, nesse local era onde a brincar se aprendia pois a minha a avó ensinávamos como alimentar os animais e como tratar dos vegetais que ela cultivava.
  4. Por cerca das 19 horas a minha mãe chegava do trabalho e ia me buscar para voltar para casa e assim era o meu dia-a-dia até por volta dos 6 anos.
  5. Idade a que entrei para a escola primária neste local foi onde comecei a fazer as minhas amizades e as actividades desportivas como por exemplo o Karate, Escola Numero 1 de Mira-Sintra e até ao 4º ano de escolaridade sempre estudei lá com bom aproveitamento até à conclusão do ensino primário. Foi também nesta que voltei a mudar de casa fui viver para a Tapadas das Merçês, para um T2 com cerca de 140m², casa onde resido até a actualidade.
  6.  Aos 10 anos decorriam o ano de 1997 deu-se a grande mudança no termo da educação na minha vida, foi a 1ª mudança de escola a nova escola chamava-se Escola Básica D. Domingos Jardo, e deixei de ter 1 professor por ano lectivo para ter cerca de 7 professores e varias salas de aulas, os primeiros dias foram um pouco complicados até compreender como tudo funcionava, mas depois de perceber todo o funcionamento da escola, foi muito bom pois conheci muitos amigos. Pela primeira vez tive contacto com uma língua estrangeira, o inglês, foi a que optei na altura em que fiz a matrícula. No final do ano lectivo tive uma surpresa dos meus pais a minha 1ª grande viagem que foi ir de férias para Tenerife que é uma ilha do Arquipélago das Canárias em Espanha ao largo de Marrocos.
  7.   A meio do 6º ano lectivo o meu pai teve algumas complicações de saúde o que me fez durante cerca de 6 meses viver entre a casa da minha avó e dos meus tios maternos, o que lhe aconteceu foi um deslocamento total da retina do olho esquerdo manifestando-se com perda súbita da visão no olho afectado, como se tivessem colocado uma cortina escura ou baixado o pano de fundo à frente do olho a situação se não for tratada de imediato poderá tornar-se definitiva, devido ao estado em que já se encontrava teve de ser operado de urgência no Hospital de Setúbal a operação foi bastante morosa devido a sua complexidade e ao material existente na época, após a operação teve de estar em repouso absoluta cerca de 6 meses com o mínimo de movimentos possível. Mesmo com este acontecimento e apenas tendo conseguir acompanhar os meus pais ao fim de semana visto terem ficado em casa do meu avô em Brejos de Azeitão devido a proximidade ao hospital, consegui obter um bom aproveitamento escolar. Nos anos lectivos seguintes, correspondentes ao 3ºCiclo mantive-me na mesma escola.
  8. No ano 2003 devido a passagem para o ensino secundário tive de mudar novamente de escola foi para a Escola Secundaria Matias Aires, no Cacem, lá pela primeira vez reprovei com 3 negativas, mesmo assim com uma media global de 13.7 Valores. No ano seguinte experimentei o ensino Professional e fui para a Escola Profissional Gustave Eiffel, no Pólo da Amadora foi com a mudança para esta escola que comecei a utilizar transportes públicos diariamente, nesta escola a grande diferença em relação a todas as anteriores é que não existia área de convivo entre colegas depois das aulas assim que saímos das aulas a única hipótese era sair da escola pois o único espaço existente era um passeio com cerca de 50 centímetros de largura, por decisão própria no 2 período de aulas decidi anular a minha matricula naquele estabelecimento e voltar a tentar no ensino normal no ano seguinte. Foi na escola Leal da Câmara em Rio de Mouro decorria então o ano de 2005, juntamente com o inicio deste ano lectivo inscrevi-me juntamente com mais 2  amigas nos Bombeiros Voluntários de São Pedro de Sintra durante este ano frequentei sempre a escola e tinha 3 vezes por semana tinha escola para bombeiro de 3ª Classe entre as 21 horas e as 00:30 tendo concluído ambas com êxito no mês de Junho de 2006, mas devido as funções que já podia exercer enquanto bombeiro voluntario, não me voltei a inscrever na escola. E foi ainda este ano que tive o meu primeiro emprego foi na Escola Nacional de Bombeiros no Núcleo de Equipamento e Viaturas neste local tinhas a responsabilidade de verificar se todo o equipamento necessário para as acções de formação a decorrer se encontrava em perfeito estado de funcionamento, distribuir o material pelos formandos e ainda preparar os campos de treino, trabalhei neste local por cerca de três meses saí por opção própria pois não gostava do ambiente que se sentia entre colegas, de seguida fui trabalhar para a empresa Essilor no local tinha a Função  de Técnico de armazém, preparava os produtos para a expedição final, devido a possibilidade que apareceu entretanto também só trabalhei neste local cerca de 2 meses e fui trabalhar para a empresa Essegur com a Função de Vigilante Bombeiro no Edifício da Caixa de Geral de Depósitos, na Avenida 5 de Outubro em Lisboa, neste edifício trabalhava em equipa juntamente com outro elemento também ele bombeiro e tínhamos como função prestação de 1º Socorros, combate a incêndios e rondas periódicas a todo o edifício não podendo especificar mais pormenores devido a sigilo Professional. Trabalhei neste local até Novembro de 2010, saindo devido a caducidade do contrato de trabalho, enfrentando pela primeira vez o desemprego durante o período que estive desempregado cerca de seis meses procurei diáriamente novas oportunidade de emprego sem sucesso, e ocupava o restante tempo livre fazendo voluntariado nos bombeiros. No mês de Maio surge finalmente uma boa noticia, a proposta para vir trabalhar para os Bombeiros. Muitas das vezes deparamo-nos com situações de ordenados extremamente baixos que práticamente não dão para fazer face ao elevado custo de vida. Patrões e chefes que abusam dos seus subordinados não respeitando minimamente os direitos dos trabalhadores. Proclama a Declaração Universal dos Direitos do Homem como ideal comum a atingir por todos os povos e todas as nações, a fim de que todos os indivíduos e todos os órgãos da sociedade, tendo-a constantemente no espírito, se esforcem, pelo ensino e pela educação, por desenvolver o respeito desses direitos e liberdades e por promover, por medidas progressivas de ordem nacional e internacional, o seu reconhecimento e a sua aplicação universais e efectivos tanto entre as populações dos próprios Estados membros como entre as dos territórios colocados sob a sua jurisdição. Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade. Todos os seres humanos podem invocar os direitos e as liberdades proclamados na presente Declaração, sem distinção alguma, nomeadamente de raça, de cor, de sexo, de língua, de religião, de opinião política ou outra, de origem nacional ou social, de fortuna, de nascimento ou de qualquer outra situação. Além disso, não será feita nenhuma distinção fundada no estatuto político, jurídico ou internacional do país ou do território da naturalidade da pessoa, seja esse país ou território independente, sob tutela, autónomo ou sujeito a alguma limitação de soberania. Seria maravilhoso que que na pratica isto fosse realmente possível mas como é do conhecimento geral isto é só em teoria. No meu ponto de vista os direitos humanos são atropelados diáriamente em todo o mundo mesmo nos países ditos desenvolvidos. Todos os dias somos confrontados com situações de violação dos direitos humanos nos orgãos de comunicação social. As próprias forças de segurança são das que mais violam os direitos humanos talvez por excesso de zelo. As forças policiais na ocorrência de desacatos espancam todas as pessoas que se cruzem no seu caminho, independentemente estarem ou não envolvidas. Os casos mais vergonhosos são os relacionados com situações de guerra tais como do Iraque ou da Líbia entre outras. Desde as forças militares internacionais, o próprio governo, a polícia, as mílicias ou as facções religiosas todos têm culpa na violação dos direitos humanos. Tudo isto associado á pobreza  e excassez de bens essenciais faz com que exista uma crise humanitária sem procedentes. Estas situações infelizmente ocorrem com demasiada frequência por interesses obscuros de países sem escrúpulos que sobrevivem da venda de armas ou exploração de recursos naturais desses países. Com o andar do tempo e devido à minha actividade comecei ter contacto com a realidade humana e presenciei situações muito graves de alcoolismo, tendo acompanhado uma situação que me ficou gravada. Apesar de nos dias de hoje haver muita informação sobre o alcoolismo nota-se cada vez mais os adolescentes terem contactos com o alcool muito cedo, apesar de terem a noção de que o fumar e beber bebidas alcoólicas é bastante prejudicial para a saúde. O consumo de alcool com muita frequência e em grandes quantidades pode degenerar em sirrose. A cirrose hepática é considerada uma doença terminal do fígado. O fígado é um órgão importante que recebe sangue de duas fontes diferentes. Muitas das substâncias transportadas através do sangue são modificadas durante o seu percurso pelo fígado. Este órgão tem uma variedade complexa de funções como: limpar e purificar o subministro de sangue, degradar certas substâncias químicas no sangue e fabricar outras. Como é do conhecimento geral o figado é um orgão que se pode retirar cirurgicamente mais de dois terços que tem capacidade regenerativa podendo crescer até praticamente ao mesmo tamanho. É possível em certos casos o tratamento da cirrose hepática, através de tratamento natural utilizando plantas:

This paste is large and only partially shown.
View full paste

View raw paste Reply